Emergência e Criatividade em Computação Musical Usando Algoritmos Genéticos

Francisco de Paula Barretto1 Barretto

Resumo


Este artigo descreve uma pesquisa teórico-prática que aborda, de forma transdisciplinar, as aplicações de técnicas de Inteligência Artificial no desenvolvimento de obras capazes de gerar resultados.  O comportamento emergente pode ser definido, segundo Peter Cariani (2009) como o surgimento de novas entidades que, em um sentido ou em outro, não poderiam ter sido previstas com base naquilo que as precedeu. Essa característica emergente do sistema pode ser vista como uma heurística para a obtenção da criatividade. Buscamos aqui, portanto, ilustrar a aplicação deste conceito utilizando algoritmos genéticos para a geração de acordes.


Palavras-chave


Algoritmos Genéticos; Emergência; Inteligência Artificial.

Texto completo:

PDF

Referências


CARIANI, P. Emergência e Criatividade. In: ITAULAB Emoção Art.ficial 4.0. São Paulo: Itaú Cultural, 2009. p. 21-41.

CORNÉER, O.; LÜBCKE, M. Bacterial Orchestra. Cornéer & Lubcke Website, 2006. Disponivel em: < http://www.corneerlubcke.com/works/bacterial-orchestra/>. Acesso em: 12 nov. 2011.

FROESE, T.; ZIEMKE, T. Enactive artificial intelligence: Investigating the systemic organization of life and mind. Artificial Intelligence, v. 173, n. 3-4, p. 466-500, mar. 2009.

FROESE, T.; VIRGO, N.; IZQUIERDO, E. Autonomy: a review and a reappraisal. Advances in Artificial Life: Proc. of the 9th Euro. Conf. on Artificial Life. Berlin: Springer-Verlag. 2007. p. 455-464.

HOLLAND, J. H. Adaptation In Natural and Artificial Systems. Ann Arbour: The University of Michigan Press, 1975.

KUJAWSKI, G. Emergência - a expressão do inesperado. In: ITAULAB Emoção Art.ficial 4.0. São Paulo: Itaú Cultual, 2009. p. 15-19.

LUISI, P. L. Autopoiesis: a review and a reappraisal. Naturwissenschaften, v. 90, n. 2, p. 49-59, 10 January 2003.

LAURENTIZ, S. A Poética dos Recursos Computacionais que Simulam a Vida. Anais do 6º Encontro Internacional de Arte e Tecnologia. Brasília: UnB. 2007.

MATURANA, H.; VARELA, F. De Máquinas e Seres Vivos: a organização do vivo. 3rd Edition. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

PFEIFER, R. Building ‘Fungus Eaters’: Design Principles of Autonomous Agents. 4: Proc. of the 4th Int. Conf. on Simulation of Adaptive Behavior. Cambridge: The MIT Press. 1996. p. 3-12.

PFEIFER, R.; BONGARD, J. How the Body Shapes the Way We Think: A New View of Intelligence. Cambridge: The MIT Press, 2007.

PFEIFER, R.; GOMEZ, G. Interacting with the real world – design principles for intelligent systems. Artificial Life and Robotics, v. 9, n. 1, p. 1-6, 2005.

PFEIFER, R.; IIDA, F.; BONGARD, J. New Robotics: Design Principles for Intelligent Systems. Artificial Life, v. 11, n. 1-2, p. 99-120, January 2005.

TRAMUS, M.-H.; CHEN, C.-Y. La funambule virtuelle et Quorum Sensing, deux installations interactives s’inspirant du connexionnisme et de l’évolutionnisme. La création artistique face aux nouvelles technologies. Paris: [s.n.]. 2005.

WILSON, S. Information Arts. Cambridge: The MIT Press, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.