Estudo preliminar para a utilização de veículos híbridos na frota do transporte público do Distrito Federal

Leonel L. D. Morales, Messias Januário de Oliveira Júnior

Resumo


A preocupação com o desenvolvimento deve fazer parte de toda sociedade, mas ele deve ser precedido de uma estruturação. O desenvolvimento desestruturado traz consigo consequências, em sua maioria ambientais. O trabalho tem o objetivo de apresentar o veículo híbrido como solução ao desenvolvimento do meio de transporte coletivo, apontando as características principais do veículo, comparando-os com veículos convencionais a Diesel e dimensionando taxas de emissões de CO2, CO, HC, MP, NOx para ambos. Utilizando-se de métodos simplificados para o dimensionamento de taxas de emissões de frotas especificas para o cálculo de emissão.


Palavras-chave


Veículo híbrido; Tecnologia híbrida; Transporte limpo; Meio ambiente.

Texto completo:

PDF

Referências


BARAN, Renato; LEGEY, Luiz Fernando Loureiro. Veículos elétricos: história e perspectivas no Brasil. In: XIII Congresso Brasileiro de Energia, Brasil. 2010.

ÁLVARES JR, O. de M.; LINKE, R. R. A. Metodologia simplificada de cálculo das emissões de gases do efeito estufa de frotas de veículos no Brasil. São Paulo: CETESB, v. 182, 2001.

VE. Veículos Elétricos a Bateria, Híbridos e de Célula a Combustível. Disponível em: < http://www.ve.org.br/VE2006/downloads/Associacao_Brasileira_Veiculo_Eletrico_Constituida_Rio_de_Janeiro.doc>. Acesso em: 11 de nov. 2014.

MCT (2001). Inventário da emissão de gases de efeito estufa: setor de transporte rodoviário veículos leves Brasil. Ministério da Ciência e Tecnologia, Brasília, DF.

MENDES, APF. Uma avaliação do impacto ambiental no Brasil: Poluição do ar e mortalidade. 1993. 1993. Tese de Doutorado. Dissertação de mestrado em Planejamento Energético. COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

SBQ (2014). Emissões de gases poluentes na atmosfera. Sociedade Brasileira de Química. Disponível em: < http://qnint.sbq.org.br/sbq_uploads/layers/imagem5429.png>. Acesso em: 20 abr. 2014.

PETROBRAS. Comparação de resultados de emissões e consumo entre veículos

híbridos e veículos nacionais utilizando gasolina com adição de etanol. Congresso SAE Brasil. 2004.

PIETRO, Erber; HOLLANDA, J.B de. Ônibus Elétrico-Híbridos no Brasil. Instituto Nacional de Eficiência Energética. Congresso Mobilidade Inteligente. Rio de Janeiro, RJ. 2010. ABVE.

AZEVEDO, Hélio RT. Simulação Digital de Desempenho de Veículos Híbridos Bateria/Motor de Combustão em Configuração Série. 1984. Tese de Doutorado. Tese de Mestrado, COPPE/UFRJ.

ARIOLI, Magdala Satt. Mecanismo de desenvolvimento limpo: análise da viabilidade do uso de ônibus híbridos no transporte público urbano brasileiro. 2010.

CNT, Confederação Nacional de Transportes. Combustíveis Alternativos e a Redução das Emissões de Poluentes 12ª Transpo-Sul. (CNT), 2010.

SCHWOB, Marcelo Rousseau Valença et al. Vantagens da Propulsão Elétrica Aplicada ao Transporte Rodoviário Urbano em Linhas Expressas. 2011.

LOPES, Juliana. Estratégias de gerenciamento de potência em ônibus de transporte urbano elétrico híbrido série. 2008. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

AEA - Associação Brasileira de Engenharia Automotiva. Volvo testa ônibus híbrido em São Paulo. Disponível em: < http://aea.org.br/v1/volvo-testa-onibus-hibrido-em-sao-paulo/>. Acesso: 10 nov. 2014.

AEBT. O transporte de passageiros – Associação da Empresas Brasileiras de Transporte Terrestre. Disponível em: < http://www.abrati.org.br/page/23>. Acesso 05 maio 2014.

VOLVO. Ônibus Híbrido – Tecnologia, econômica e respeito ao meio ambiente. Folheto - PDF. Disponível em: < http://www.volvobuses.com/SiteCollectionDocuments/VBC/Brasil%20-%20ILF/Downloads/Brochura%20%C3%94nibus%20H%C3%ADbrido.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2014.

ABVE. Associação Brasileira de Veículos Híbridos. O que é o veículo Híbrido?. Disponível em: < http://www.abve.org.br/PF/ExibePF.asp?codigo=0003>. Acesso em: 23 abr. 2014.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Emissões veiculares no Estado de São Paulo. 2011. Disponível em: < http://www.cetesb.sp.gov.br/ar/documentos/Relatorio_de_Emissoes_Veiculares_no_Estado_de_Sao_Paulo_2011.pdf>. Acesso em: 22 de abril de 2014.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Qualidades do Ar no Estado de São Paulo. Disponível em: < http://www.cetesb.sp.gov.br/ar/qualidade-do-ar/31-publicacoes-e-relatorios>. Acesso em: 27 abr. 2014.

PROCONVE. Programa de Controle de Poluição do Ar por veículos automotores. Relatório 163. 2012. Disponível em: < www.mma.gov.br/estruturas/163/_arquivos/proconve_163.pdf>. Acesso em: 22 abr. 2014.

BRUNETTI (2012b), Franco. Motores de combustão interna. 1ed.São Paulo. Blucher. 2012.v. 2.

KOZERSKI, Glauco Rodrigo; HESS, Sônia Corina. Estimativa dos poluentes emitidos pelos ônibus e microônibus de Campo Grande/MS, empregando como combustível diesel, biodiesel ou gás natural. Eng. sanit. ambient, v. 11, n. 2, p. 113-117, 2006.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente. 1º Inventário Nacional de emissões atmosféricos por veículos automotores. Relatório Final. Grupo de Trabalho instituído pela Portaria Ministerial nº 336, de 22 de setembro de 2009. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.