Cooperação espacial Brasil-Argentina (1989-2014)

Bruna Mª de A. de Araujo

Resumo


As atividades espaciais denominam-se estratégicas nas relações internacionais, por promoverem informações relevantes na tomada de decisões dos Estados, além de projetar a sua influência. Desse modo, torna-se indispensável entender o seu funcionamento e aplicações no cenário global. O objetivo desse artigo foi, nesse âmbito, analisar como a cooperação entre Brasil e Argentina tornou-se capaz de ajudar a diminuir as disparidades e as barreiras inerentes ao campo espacial de ambas as nações. Foram utilizadas as metodologias histórica e política de forma a delimitar o estudo em seu arcabouço temporal, levando em conta as causas estruturais que interferem no comportamento convergente dos dois Estados. Como resultado, identificou-se uma série de projetos conjuntos que trouxeram notoriedade à cooperação. Além disso, com a análise das atividades espaciais de cada país, de forma individual, fez-se possível traçar um panorama sobre o atual estágio da parceria.

Palavras-chave


Espaço exterior; Cooperação; SABIA-Mar

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA ESPACIAL BRASILEIRA [AEB]. Programa Nacional de Atividades Espaciais: PNAE, 2012-2021. Brasília: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, 2012, 36p.

AMARAL, Roberto. Programa Espacial Brasileiro: impasses e alternativas. Cosmos e Contexto, Rio de Janeiro, n. 01, dez. 2011. Disponível em: < http://www.cosmosecontexto.org.br/?p=409>. Acesso em: 21 mai. 2015.

ARGENTINA. Comisión Nacional de Actividades Espaciales. Objetivos SAC-D. Buenos Aires, 2011. Disponível em: < http://www.conae.gov.ar/index.php/espanol/misiones-satelitales/sac-d/objetivos>. Acesso em: 19 fev. 2015.

______. ______. Plan Espacial Nacional Argentina en el Espacio 2004-2015 : Actualización 2010 – 2015. Buenos Aires, 2010. 95p. Disponível em: < http://www.conae.gov.ar/index.php/espanol/sobre-conae/plan-espacial-nacional/argentina-en-el-espacio-2004-2015-actualizacion-2010>. Acesso em: 05 abr. 2015.

BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO [BID]. Constituição do Mecanismo de Cooperação e Coordenação Bilateral Brasil-Argentina. Washington, 2008. Disponível em:< http://www10.iadb.org/intal/intalcdi/PE/2008/01284.pdf>. Acesso em: 22 fev. 2015.

BIONDI, Antonio. Argentina amplia investimentos e colhe êxitos no Programa Espacial. Jornal do Sindct, São José dos Campos, p.3, mar. 2015. Disponível em:< http://jornaldosindct.sindct.org.br/index.php?q=node/477>. Acesso em: 20 abr. 2015.

BRASIL E ARGENTINA Comemoram Sucesso da Parceria e Planejam Novos Projetos. Espaço Brasileiro: uma visão do futuro, Brasília, ESPAÇO BRASILEIRO, s.ed., n. 4, abr-mai-jun 2008. Disponível em: < http://www.aeb.gov.br/wp-content/uploads/2012/09/RevistaAEB_n4.pdf> Acesso em: 19 fev. 2015.

BRASIL. Agência Espacial Brasileira. Argentina. Brasília, 1997a. Disponível em: < http://www.aeb.gov.br/argentina-2/>. Acesso em: 19 set. 2014.

______. ______. Brasil e Argentina concluem Fase A do Projeto Sabia-Mar. Brasília, 2013. Disponível em: < http://www.aeb.gov.br/brasil-e-argentina-concluem-fase-a-do-projeto-sabia-mar/>. Acesso em 27 fev. 2015.

______. ______. Brasil e Argentina construirão dois Satélites Sabiá-Mar. Brasília, 2008a. Disponível em: < http://www.aeb.gov.br/brasil-e-argentina-construirao-dois-satelites-sabia-mar/>. Acesso em 04 mar. 2015.

______. ______. MCTI Busca Meios de Recuperar Perdas Orçamentárias. Brasília, 2015b. Disponível em: < http://www.aeb.gov.br/mcti-busca-meios-de-recuperar-perdas-orcamentarias>. Acesso em: 04 mai. 2015.

______. ______. Sabia-Mar Será Tema de Discussão na viagem do Presidente da AEB para Argentina. Brasília, 2007. Disponível em: < http://www.aeb.gov.br/sabia-mar-sera-tema-de-discussao-na-viagem-do-presidente-da-aeb-para-argentina/ >. Acesso em: 25 fev. 2015.

______. Declaração Conjunta Brasil-Argentina sobre Cooperação Bilateral nos Usos Pacíficos do Espaço Exterior. Ministério das Relações Exteriores, Brasília, DF, 1989. Disponível em: < https://daimre.serpro.gov.br/atos-internacionais/bilaterais/1989/b_46/>. Acesso em: 23 nov. 2014.

______. ______. NanosatC-BR1 será lançado nesta quinta. 1° cubesat nacional foi desenvolvido em parceria com universidade. Brasília, 2014d. Disponível em: < http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=3636>. Acesso em: 20 abr. 2015.

______. ______. Plano Diretor 2011 – 2015. São José dos Campos, 2011. Disponível em: < http://www.inpe.br/noticias/arquivos/pdf/Plano_diretor_miolo.pdf>. Acesso em: 25 fev. 2015.

______. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. INPE Se Prepara para Testes do Satélite Amazônia-1. MCTI, 2014f. Disponível em:< http://www.brasil.gov.br/ciencia-e-tecnologia/2014/03/inpe-se-prepara-para-testes-do-satelite-amazonia-1>. Acesso em: 02 mai. 2015.

______. ______. Percentual da dotação orçamentária governamental em pesquisa e desenvolvimento (P&D), do objetivo socioeconômico Programa Espacial de países selecionados, 2000-2014. Brasília, 2014c. Disponível em: < http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/336723.html>. Acesso em: 20 abr. 2014.

______. Ministério da Defesa. Estratégia Nacional de Defesa. Brasília: 2 ed., Ministério da Defesa, 2008c. 72p.

______. ______. Brasil e Argentina concluem fase B do Projeto SABIA-Mar. Arquivo Divisão do Mar, da Antártida e do Espaço. Brasília, 2014a.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores.Declaração Conjunta Visita de Estado ao Brasil da Presidenta da República Argentina, Cristina Fernández de Kirchner. Lex: Brasília, 2008b. Disponível em: < http://dai-mre.serpro.gov.br/atos-internacionais/bilaterais/2008/b_208/>. Acesso em: 08 out. 2014.

______. ______. Telegrama nº. 1992, de 20 de outubro de 2014. Brasília, 2014b.

______. ______. Missão Conjunta Argentina Brasil para um Satélite Oceanográfico SABIA-Mar. Arquivo Divisão do Mar, da Antártida e do Espaço, 2010.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Relatório Anual de Avaliação do PPA 2012-2015: ano base 2013. Brasília: SPI/MP, 2014e. 2 v. 144p.

BRASIL. Universidade de São Paulo. Brasileiros e Argentinos se Unem para Construção de Radiotelescópio. São Paulo, 2014g. Disponível em: < http://www5.usp.br/72872/brasileiros-e-argentinos-se-unem-para-construcao-de-radiotelescopio/>. Acesso em: 25 fev. 2015.

CÂMARA NETO, Gilberto. INPE, uma história de sucesso. In: BRASIL. Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Desafios do Programa Espacial Brasileiro. Brasília: SAE, 2011.p. 115-119.

CARVALHO, Himilcon de Castro. Alternativas de Financiamento e Parcerias Internacionais Estratégicas no Setor Espacial. In: BRASIL, Presidência da República. Desafios do Programa Espacial Brasileiro. Brasília: SAE, 2011.p. 17-41.

CHAMON, Marco Antonio. Entrevista Sabia-Mar. Revista Espaço Brasileiro. Brasília: ed. quinze, n.15, jan-jun 2013.

DREWES, Lorena. El Sector Espacial Argentino : Instituciones referentes, provedores y desafios. Empresa Argentina de Soluciones Satelitales, 2014. Disponível em: < http://www.arsat.com.ar/wp-content/uploads/2014/09/el_sector_espacial_argentino1.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2015.

DURÃO, O.S.C.; CEBALLOS, D.C. Desafios Estratégicos do Programa Espacial Brasileiro. In: BRASIL. Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Desafios do Programa Espacial Brasileiro. Brasília: SAE, 2011.p. 41-59.

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA. National Aeronautics and Space Administration. A Cor do Oceano: A Missão SABIA-Mar. AstroBiology Magazine, 2013. Disponível em: < http://www.astrobio.net/topic/solar-system/earth/climate/a-cor-do-oceano-a-missao-sabia-mar/>. Acesso em: 25 fev. 2015.

FUTRON. FUTRON’S 2010 SPACE COMPETITIVENESS INDEX: A Comparative Analysis of How Countries Invest In and Benefit from Space Industry. FUTRON, 2010. Disponível em:< http://www.futron.com/upload/wysiwyg/Resources/Reports/Futron_2010_Space_Competiviveness_Index_Executive_Summary.pdf>. Acesso em: 17 mar. 2015

FUTRON. FUTRON’S 2011 SPACE COMPETITIVENESS INDEX: A Comparative Analysis of How Countries Invest In and Benefit from Space Industry. FUTRON, 2011. Disponível em:< http://www.futron.com/upload/wysiwyg/Resources/Reports/Futron_2011_Space_Competitiveness_Index_Executive_Summary.pdf>. Acesso em: 17 mar. 2015.

FUTRON. FUTRON’S 2012 SPACE COMPETITIVENESS INDEX: A Comparative Analysis of How Countries Invest In and Benefit from Space Industry. FUTRON, 2012. Disponível em:< http://www.futron.com/upload/wysiwyg/Resources/Reports/Futron_2012_Space_Competitiveness_Index_Executive_Summary.pdf>. Acesso em: 17 mar. 2015.

GARCIA, Marcelo. Uma década fora de órbita. In: Ciência Hoje. UOL, 2013. Disponível em: < http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2013/08/uma-decada-fora-da-orbita>. Acesso em: 23 abr. 2015.

GUIMARÃES, Samuel Pinheiro. Conferência de abertura. In: BRASIL. Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Desafios do Programa Espacial Brasileiro. Brasília: SAE, 2011.p. 11-14.

______. O Brasil na era espacial. In: ROLLEMBERG, Rodrigo; VELOSO, Elisabeth Machado; QUEIROZ FILHO, Alberto Pinheiro de...[et. al.]. A Política Espacial Brasileira. Brasília: Edições Câmara, 2010. p. 87-89.

KEOHANE, Robert O; NYE, Joseph S.. Realism and Complex Interdependence. In:___. Power and Interdependence. 4. ed. New York: Longman, 2001. cap. 2. p. 21-32.

LA CAF PRESTARÁ US$ 70 MILLONES para proyecto de satélite argentino brasileño para información del mar. Télam. Buenos Aires, 2 set. 2014. Folha Economia. Disponível em:< http://www.telam.com.ar/notas/201409/76619-la-caf-prestara-us-70-millones-para-proyecto-de-satelite-argentino-brasileno-para-informacion-del-mar.html>. Acesso em: 02 mai 2015.

LINO. Geraldo Luís. Argentina e Brasil: perspectivas diferentes na exploração especial. Alerta em rede, 2015. Disponível em: < http://www.alerta.inf.br/argentina-e-brasil-perspectivas-diferentes-na-exploracao-espacial/>. Acesso em 03 mai. 2015.

MILESKI, Andre. Programa Espacial: orçamentos de 2014 e 2015. In: Blog Panorama Espacial. Panorama Espacial, 2014b. Disponível em: < http://panoramaespacial.blogspot.com.br/2014/09/programa-espacial-orcamentos-de-2014-e.html>. Acesso em: 03 mai. 2015.

______. Argentina: apesar da crise, programa espacial avança. In: Blog Panorama Espacial, 2014a. Disponível em:< http://panoramaespacial.blogspot.com.br/2014/08/argentina-apesar-da-crise-programa.html>. Acesso em: 20 abr. 2015.

MONSERRAT FILHO, José. 50 Anos da Declaração da ONU que originou o Tratado do Espaço. Agência Espacial Brasileira, 2014. Disponível em: < http://www.aeb.gov.br/50-anos-da-declaracao-da-onu-que-originou-o-tratado-do-espaco/ >. Acesso em: 03 mar. 2015.

______. A ERA DOS PEQUENOS, MICROS E NANO SATÉLITES. Agência Espacial Brasileira, 2013. Disponível em: < http://www.aeb.gov.br/a-era-dos-pequenos-micros-e-nano-satelites-1/>. Acesso em: 28 abr. 2015.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. UNOOSA. United Nations Treaties and Principles On Outer Space. Nova York, 1966. Disponível em:< http://www.unoosa.org/pdf/publications/ST_SPACE_061Rev01E.pdf>. Acesso em: 22 mai. 2015.

ROUSSEFF, Dilma. Área Espacial. In:___. Mensagem ao Congresso Nacional. 1ª Sessão Legislativa Ordinária da 55ª Legislatura. – Brasília: Presidência da República, 2015. p. 315.

SABIA-MAR: usuários e indústria participam do projeto. REVISTA ESPAÇO BRASILEIRO. Brasília: ed. quinze, n.15, jan-jun 2013.

SILVA, Cleonilson Nicácio. Militarização do Espaço: desafios para as potências médias. In: JOBIM, Nelson A.; ETCHEGOYEN, Sergio W.; ALSINA, João Paulo (Orgs.). Segurança Internacional: perspectivas brasileiras. São Paulo: FGV, 2010, p. 269-283.

SILVA, Meireluce Fernandes da. Rumo a uma Nova Estratégia Espacial para o Brasil. Brasília: Thesaurus, 2012. 334 p.

STEFFEN, Carlos Alberto. Introdução ao Sensoriamento Remoto. São José dos Campos, 2014. Disponível em: < http://www.inpe.br/unidades/cep/atividadescep/educasere/apostila.htm#gurge>. Acesso em: 03 mar. 2015.

TSIOLKOVISKI, Kostantin. Cenário e Perspectivas da Política Espacial Brasileira. In: ROLLEMBERG, Rodrigo; VELOSO, Elisabeth Machado; QUEIROZ FILHO, Alberto Pinheiro de... [et al.]. A Política Espacial Brasileira. Brasília: Edições Câmara, 2010, p. 19-84.

VAROTTO, Conrado, F. A Argentina e o Brasil na atividade espacial. In: Lladós, José Maria Guimarães, Samuel Pinheiro (Org.). Perspectivas Brasil e Argentina. Brasília: IPRI, 1997. p. 585-615.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.